THE RITE OF SPRING : Repetition Legitimizes (David Bruce)

“The ideal: to be able to repeat oneself like … Bach” (Cioran)

How come the Rite of Spring is both incredibly popular but also incredibly dissonant? Are those two supposed to be mutually exclusive? In this video I present my own theory – that it’s the unique mixture of dissonance and repetition that makes this such an innovative and influential work.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s