Terno do Zé – GANGRENA GASOSA

Fudido desempregado
Mal saía do boteco
Na minha busca por um cruze
Só cantada de traveco

Quando abria a geladeira
O perrengue era pior
Que casa de passarinho
Só com agua e jiló

Tava puto da vida
Não tinha porra nenhuma
Que se foda a merda toda
Apelei para macumba

Parei de roer o osso
Hoje eu como costela
Passista de samba
E atriz de novela

Cada dia uma mulher
Dei descanso pra minha mão
Eu não como mais moela
Agora só filé mignon

To curtindo a vida como o diabo quer
Ando de carrão com as minas no meu pé
E pra pagar o trabalho que me deu fama e mulher
To devendo uma cachaça e um terno branco pro seu Zé

Cuidado
Cuidado
Cuidado
Cuidado
Que o santo vai te cobrar

Cuidado
Cuidado
Cuidado
Cuidado
Que o santo vai te cobrar

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s