Nick Cave’s ‘Ghosteen’ (2019): Palingenesis, musical angelology, and the good seeds of mustard

In honorem María Liliana Herrera Alzate (1960-2019) I used to appreciate Nick Cave's music, but when I first listened to his last album, Ghosteen (2019), I immediately became a worshipping fan, a Caveman of sorts. Ghosteen is one of the most beautiful things I've ever come across. Important detail: it's the first album released by... Continuar Lendo →

“One must learn to love” – Nietzsche

THIS IS OUR EXPERIENCE IN MUSIC: we must first learn in general to hear fully, and to distinguish a theme or melody, we have to isolate and limit it as a life by itself; then we need to exercise effort and good will in order to endure it in spite of its strangeness we need... Continuar Lendo →

A compreensão musical: Wittgenstein, ética e estética – Paulo C. Chagas

Resumo: A compreensão musical é um tema recorrente na filosofia de Wittgenstein. No Tratactus Logico-Philosophicus Wittgenstein afirma que “ética e estética são uma só (TLP 6.421); elas pertencem ao domínio do que não pode ser dito, mas simplesmente mostrado. Nas Investigações Filosóficas Wittgenstein muda o foco da sua filosofia da lógica para a gramática da... Continuar Lendo →

É preciso aprender a amar – Nietzsche

EIS O QUE SUCEDE conosco na música: primeiro temos que aprender a ouvir uma figura, uma melodia, a detectá-la, distingui-la, isolando-a e demarcando-a como uma vida em si; então é necessário empenho e boa vontade para suportá-la, não obstante sua estranheza, usar de paciência com seu olhar e sua expressão, de brandura c om o... Continuar Lendo →

Ney Matogrosso: o Corpo Musical, Metáfora da Alma

Ney Matogrosso na manhã de domingo: estremecimentos angelicais, turbulentas sensações, palpitações, comoção exterior ao universo. “Pedra de rio”: pensa numa música supremamente triste, linda de morrer… Experiência indescritível a cada vez que a ela retorno. Música arquetípica, heraclítica, fundadora como o Mito. Nela, coincidimos com as origens e os fins. Ney Matogrosso, metáfora da alma. Na Música, tudo é... Continuar Lendo →

“Em nome do medo” (Moonspell)

Uma bela e pesada faixa da banda portuguesa Moonspell. Metal simples, muito bem composto e tocado, sem virtuose nem afetações (do jeito que eu gosto). A propósito, eles têm um álbum intitulado 1755 (2017), em referência ao ano do terrível terremoto (seguido por um tsunami) que destruiu Lisboa quase por completo. O terremoto de 1755 provocou dois... Continuar Lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑