Cético – LUIZ CALDAS

Canção de Luiz Caldas, o rei da Axé music, dedicada a Cioran. Neste caso não axé, mas um rockzinho intitulado "Cético", do álbum Melosofia (2004), em parceria com César Rasec. Detalhe: cada uma das 10 faixas do álbum é dedicada a um dos autores mais caros a Luiz Caldas: de Sócrates e Platão a Marx, … Continuar lendo Cético – LUIZ CALDAS

“Música”, poema de Olga Lucía Betancourt

Vivre sous le signe de la musique, cela signifierait-il autre chose que mourir avec grâce ? - E. Cioran ¡La Música es el Arte,sublime entre las artes!Es la cósmica fuentedonde mi sed se sacia. Donde el alma señeradel artista andariego,ha colmado sus ansiasde eternidad y vuelo. La Música es la escalapor donde el Simio parco,ascendió … Continuar lendo “Música”, poema de Olga Lucía Betancourt

“Ninguém sabe que estou aqui” – salvação do Belo e a feiura do mundo

https://www.youtube.com/watch?v=StQFT2gmUQU SPOILER ALERT! Memo, personagem do filme Nobody Knows I'm Here [Ninguém sabe que estou aqui] (2020), no catálogo da Netflix, não é emo! Tudo levaria a sê-lo, mas não é o caso (eis a diferença que pode fazer 1 letrinha). Tampouco é ele o (novo) Joker: sujeito do puro ressentimento, inconsolável e irremediável, muito … Continuar lendo “Ninguém sabe que estou aqui” – salvação do Belo e a feiura do mundo

NICK CAVE’s Ghosteen: Palingenesis, Musical Angelology, And The Good Seeds Of Mustard

In honorem María Liliana Herrera Alzate (1960-2019) I used to appreciate Nick Cave's music, but when I first listened to his last album, Ghosteen (2019), I immediately became a worshipping fan, a Caveman of sorts. Ghosteen is one of the most beautiful things I've ever come across. Important detail: it's the first album released by … Continuar lendo NICK CAVE’s Ghosteen: Palingenesis, Musical Angelology, And The Good Seeds Of Mustard

Êxtase musical (Emil Cioran)

ÊXTASE MUSICAL. Sinto que perco matéria, que caem minhas resistências físicas e que me dissolvo em harmonias e ascensões de melodias interiores. Uma sensação difusa e um sentimento inefável me reduzem a uma indeterminada soma de vibrações, de ressonâncias íntimas e de envolventes sonoridades.https://www.youtube.com/watch?v=SDEH01DnFtg Tudo o que acreditei ter em mim de singular, isolado em … Continuar lendo Êxtase musical (Emil Cioran)

Meditação musical

A meditação musical deveria ser o protótipo do pensamento em geral. Por acaso algum filósofo seguiu um motivo até o fundo, até tocar o seu limite e esgotá-lo, tal como faz um Bach ou um Beethoven? O pensamento exaustivo só existe na música. Depois de ler os pensadores mais profundos, sentimos a necessidade de recomeçar … Continuar lendo Meditação musical

Cioran & a música de Bach, “geradora de divindade”

Emil Cioran amava Bach acima de tudo. Se a Música era para ele a quintessência da “cultura”, e a única justificativa da Humanidade, Bach era a quintessência da Música: um Deus musical. A sua obra como um todo está cheia de elogios à Música em geral e a Bach em particular. Nos Silogismos da amargura (1952), este aforismo: … Continuar lendo Cioran & a música de Bach, “geradora de divindade”