« La Gaieté Musicale » – CLÉMENT ROSSET

Compte tenu du rôle central qu’y jouent la jubilation et l’expérience musicale, celle-là toujours liée chez Nietzsche à celle-ci, la crédibilité de la pensée nietzschéenne apparaît comme tributaire de la crédibilité d’une conception de la musique dont La Naissance de la tragédie présente une ébauche déjà à certains égards définitive. Conception qu’on peut résumer en… Continue lendo « La Gaieté Musicale » – CLÉMENT ROSSET

ROY ORBISON / DON McLEAN – Crying

"Crying" is a song written by Roy Orbison and Joe Melson for Orbison's third studio album of the same name (1962). Released in 1961, it was a number 2 hit in the US for Orbison and was covered in 1980 by Don McLean, whose version went to number 1 in the UK. The true greatness… Continue lendo ROY ORBISON / DON McLEAN – Crying

FUGAZI – I’m So Tired

"I understand all too well Wordsworth’s description of Coleridge: eternal activity without action." (Emil Cioran) https://www.youtube.com/watch?v=x1zsqNb11oU Out here I can barely see my breathSurrounded by jealousy and deathI can't be reached, only had one callDragged underneath, separate from you all this time I've lost my own returnIn spite of everything I've learnedI hid my tracks,… Continue lendo FUGAZI – I’m So Tired

Cético – LUIZ CALDAS

Canção de Luiz Caldas, o rei da Axé music, dedicada a Cioran. Neste caso não axé, mas um rockzinho intitulado "Cético", do álbum Melosofia (2004), em parceria com César Rasec. Detalhe: cada uma das 10 faixas do álbum é dedicada a um dos autores mais caros a Luiz Caldas: de Sócrates e Platão a Marx,… Continue lendo Cético – LUIZ CALDAS

“Música”, poema de Olga Lucía Betancourt

Vivre sous le signe de la musique, cela signifierait-il autre chose que mourir avec grâce ? - E. Cioran ¡La Música es el Arte,sublime entre las artes!Es la cósmica fuentedonde mi sed se sacia. Donde el alma señeradel artista andariego,ha colmado sus ansiasde eternidad y vuelo. La Música es la escalapor donde el Simio parco,ascendió… Continue lendo “Música”, poema de Olga Lucía Betancourt

“Ninguém sabe que estou aqui” – salvação do Belo e a feiura do mundo

https://www.youtube.com/watch?v=StQFT2gmUQU SPOILER ALERT! Memo, personagem do filme Nobody Knows I'm Here [Ninguém sabe que estou aqui] (2020), no catálogo da Netflix, não é emo! Tudo levaria a sê-lo, mas não é o caso (eis a diferença que pode fazer 1 letrinha). Tampouco é ele o (novo) Joker: sujeito do puro ressentimento, inconsolável e irremediável, muito… Continue lendo “Ninguém sabe que estou aqui” – salvação do Belo e a feiura do mundo

NICK CAVE’s Ghosteen: Palingenesis, Musical Angelology, And The Good Seeds Of Mustard

In honorem María Liliana Herrera Alzate (1960-2019) I used to appreciate Nick Cave's music, but when I first listened to his last album, Ghosteen (2019), I immediately became a worshipping fan, a Caveman of sorts. Ghosteen is one of the most beautiful things I've ever come across. Important detail: it's the first album released by… Continue lendo NICK CAVE’s Ghosteen: Palingenesis, Musical Angelology, And The Good Seeds Of Mustard

Êxtase musical (Emil Cioran)

ÊXTASE MUSICAL. Sinto que perco matéria, que caem minhas resistências físicas e que me dissolvo em harmonias e ascensões de melodias interiores. Uma sensação difusa e um sentimento inefável me reduzem a uma indeterminada soma de vibrações, de ressonâncias íntimas e de envolventes sonoridades.https://www.youtube.com/watch?v=SDEH01DnFtg Tudo o que acreditei ter em mim de singular, isolado em… Continue lendo Êxtase musical (Emil Cioran)

Meditação musical

A meditação musical deveria ser o protótipo do pensamento em geral. Por acaso algum filósofo seguiu um motivo até o fundo, até tocar o seu limite e esgotá-lo, tal como faz um Bach ou um Beethoven? O pensamento exaustivo só existe na música. Depois de ler os pensadores mais profundos, sentimos a necessidade de recomeçar… Continue lendo Meditação musical

Cioran & a música de Bach, “geradora de divindade”

Emil Cioran amava Bach acima de tudo. Se a Música era para ele a quintessência da “cultura”, e a única justificativa da Humanidade, Bach era a quintessência da Música: um Deus musical. A sua obra como um todo está cheia de elogios à Música em geral e a Bach em particular. Nos Silogismos da amargura (1952), este aforismo:… Continue lendo Cioran & a música de Bach, “geradora de divindade”