“Ninguém sabe que estou aqui” – salvação do Belo e a feiura do mundo

https://www.youtube.com/watch?v=StQFT2gmUQU SPOILER ALERT! Memo, personagem do filme Nobody Knows I'm Here [Ninguém sabe que estou aqui] (2020), no catálogo da Netflix, não é emo! Tudo levaria a sê-lo, mas não é o caso (eis a diferença que pode fazer 1 letrinha). Tampouco é ele o (novo) Joker: sujeito do puro ressentimento, inconsolável e irremediável, muito... Continuar Lendo →

Nick Cave’s ‘Ghosteen’ (2019): Palingenesis, musical angelology, and the good seeds of mustard

In honorem María Liliana Herrera Alzate (1960-2019) I used to appreciate Nick Cave's music, but when I first listened to his last album, Ghosteen (2019), I immediately became a worshipping fan, a Caveman of sorts. Ghosteen is one of the most beautiful things I've ever come across. Important detail: it's the first album released by... Continuar Lendo →

Meditação musical

A meditação musical deveria ser o protótipo do pensamento em geral. Por acaso algum filósofo seguiu um motivo até o fundo, até tocar o seu limite e esgotá-lo, tal como faz um Bach ou um Beethoven? O pensamento exaustivo só existe na música. Depois de ler os pensadores mais profundos, sentimos a necessidade de recomeçar... Continuar Lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑