“A musicologia de Descartes à Gestalt” – José Fornari

Musicologia na Mídia - Um blog de ciência da UNICAMP dedicado à pesquisa em música (23 de janeiro de 2019) No século 17 DC, durante o período Barroco, Descartes produziu a sua primeira obra filosófica, “Compendium musicae”, escrita em 1618 mas publicada apenas após a sua morte. É interessante assim observar que a primeira obra de Descartes é dedicada … Continuar lendo “A musicologia de Descartes à Gestalt” – José Fornari

“A dimensão metafísica da música” – João Augusto R. Mendes e Jorge Augusto de Serpa Mendes

Simpósio de Estética e Filosofia da Música - SEFiM/UFRGS, Porto Alegre, vol. 1, no. 1, 2013. Palavras-chave: Metafísica e Teoria musical Musica est exertitium metaphysices occultum,nescientis se philosophari animi.Arthur Schopenhauer A epígrafe acima é emblemática para o presente trabalho, pois trata-se de uma reformulação de uma frase de Leibniz, na qual este se refere à … Continuar lendo “A dimensão metafísica da música” – João Augusto R. Mendes e Jorge Augusto de Serpa Mendes

Luiz Caldas, Rei da Axé Music, e a Melosofia: “Vontade”, de Schopenhauer

Em 2004, o polivalente músico baiano compôs, em parceria com César Rasec, um álbum de 10 faixas inteiramente dedicado à filosofia, mais particularmente aos seus 10 filósofos prediletos: Sócrates, Platão, Kant, Schopenhauer, Kierkegaard, Marx, Nietzsche, Marcuse, Sartre e Cioran. Aqui, "Vontade", a quarta faixa, dedicada a Schopenhauer, notadamente a sua ideia central da Vontade (Wille) … Continuar lendo Luiz Caldas, Rei da Axé Music, e a Melosofia: “Vontade”, de Schopenhauer

Sobre ruídos e “fruição estática”

Por onde começar?Podemos começar de qualquer ponto. É sempre útil examinar o negativo para poder ver claramente o positivo. O negativo do som musical é o ruído. Ruído é o som indesejável.Ruído é a estática no telefone ou o desembrulhar balas do celofane durante Beethoven.Não há outro meio para defini-lo. Às vezes, a dissonância é … Continuar lendo Sobre ruídos e “fruição estática”